Deixa-me ser – Giuliano Fordelone

Já fui o tempo Já fui a lembrança Já fui o vento Nunca perdi as esperanças E de tanto descontentamento Me restou as mudanças No meu discernimento Sou mais um em tantos outros Mas meu pedido foi indeferido Foi culpa dos astros Talvez até de um descuido Não deixei rastros Já fui querido Já fui … Continuar lendo Deixa-me ser – Giuliano Fordelone

Tempo, Ócio e Ânsia – Giuliano Fordelone

Tempo, Ócio e Ânsia - Giuliano Fordelone Ilustração: Cabeça de Um Homem Guilhotinado por Théodore Géricault (1818) no Instituto de Arte Chicago. Crédito da imagem: Peter Eimon no Flickr.

Tempo de Inspirações – Giuliano Fordelone

Tempo de Inspirações - Giuliano Fordelone: Essa poesia significa a volta da inspiração, como o tempo passa e a vida é como as estações, cíclicas.

Por que prefiro um Monólogo num blog?

Essa reflexão é um tanto que íntima, e compartilho com quem realmente tem interesse de ler e talvez vá até se identificar comigo. Por que prefiro um monólogo num blog? Divididos em diversos temas e assuntos, posso melhor organizar minhas reflexões, sem medo de errar e ser ridicularizado por isso. Também serve como fonte de inspiração … Continuar lendo Por que prefiro um Monólogo num blog?

Trabalho, Pensamento, Tempo-Espaço e Ócio.

No ônibus a caminho de casa, lendo Edgar Morin em seu livro "Introdução do Pensamento Complexo", me deparo com a frase de um filósofo, da qual o contexto escrito no livro não afeta minha reflexão momentânea, que dizia: "...vivemos de morte, morremos de vida - Heráclito. Ao me deparar com tal frase, meu pensamento voa … Continuar lendo Trabalho, Pensamento, Tempo-Espaço e Ócio.