Corpo, prisão sem grades. Alma delinquente penitente.

Quando os prazeres da carne não é capaz de suprimir os prazeres da alma, cabe a quem "errantemente" vaga encontrar algo aquém desde mundo. Putrefato, podre corpo fadado a decadência, não há beleza, não há ópio que possa sanar tal determinismo. Do corpo, os instintos que busca por sobrevivência, tentando escapar por todos os meios … Continuar lendo Corpo, prisão sem grades. Alma delinquente penitente.