Breve reflexão: do conhecimento, da poesia, do ser humano, da tecnologia

Num lugar onde estamos cercados de conhecimentos estéreis e perguntas ineptas ainda me deparo com a falta de sensibilidade do espírito humano. Em parte a arte está morta, caiu em desvalorização e seu desuso como elemento formador da humanidade foi decretado pelo superficialidade de uma cultura vazia. Veja, que do conhecimento não se ausenta poesias. … Continuar lendo Breve reflexão: do conhecimento, da poesia, do ser humano, da tecnologia

Estranho-me

Por entre as belezas do céu e do inferno prefiro o limbo. Uma imensidão de vazio que não se pode definir, Não é aqui nem ali ou acolá. E nessa indefinição propriamente literária ou filosófica, Posso ser o que me convir a ser dentro da minha mente. Obviamente, somos o que queremos ser em estado … Continuar lendo Estranho-me

O belo

Refletindo sobre a beleza, constato que o belo, portanto àquilo que me apetece, tende a seguir um padrão estético tão intimo quanto minha própria personalidade, formalizando em meu ser o que é que me atraí, o que constato como belo. No entanto, o belo transpassa a matéria, vai além das formas físicas, das características tão … Continuar lendo O belo

Essa tal de beleza – Giuliano Fordelone

Penso na beleza e procuro argumentos que a justifiquem... Penso na beleza e procuro palavras para descreve-la... Penso na beleza e só me vem imagens a cabeça... Como descrever algo que não vem de fora e sim de dentro? Como descrever que não é a cor dos olhos nem a cor da pele? Como descrever … Continuar lendo Essa tal de beleza – Giuliano Fordelone