21 Anos de Uma Juventude – Giuliano Fordelone

E lá vem as poesias homenagear lembranças
Lembranças que jamais poderão ser esquecidas
Vidas deixadas pra trás por todo tipo de juventude
 
Juventude incerta, insegura, distante, infantil…
Buscava, entre quilômetros, um amor para cultivar
E no emaranhado coisa mal ditas, caímos num abismo
 
Tudo fora em vão, tudo fora deixado de lado e soterrado
Erros, palavras estupidas, chumbos trocados…
Não restou nem a flor e seus espinhos, ora fincados.
 
Distante foi o que fora vivido, profundo era teus olhares
Olhar para o céu límpido é entrar em sua púpila
Abismo negro de terrenos azuis celestes, me afoguei.

Contribua para o debate, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s