Versos em Prosa. Prosa em Versos – Giuliano Fordelone

Sinto falta de um amor que já não sinto mais. Daquele sentimento fugaz que escapa da língua sua definição.
 
Por mais que eu diga que eu sei onde tudo termina, minto para mim mesmo, ser errante que desaprendeu a faculdade tão inerente de um poeta… a faculdade de amar.
 
Sabe-se lá porque dizemos adeus, sabe-se aqui porque fugimos da incerteza e da insegurança, soube-se algum dia que nada é pra durar tanto quanto uma lembrança.
 
Se eu lhe dissera que fui apaixonado por ti, equivoquei-me em meus próprios olhares. Pois ante a beleza do amado, parcialmente está no ser amante.
 
Sou traído pelos meus versos, por isso abdico-me de forma estética. Meio prosa, meio verso, faço minha palavra, minha letra, minha poesia.
 
E por tantos mares de amores e paixões da qual naveguei, cai num moinho da qual, talvez, jamais sairei! Pois já dizia a arte que imita a vida:
 
Que na loucura do amor, amar é se jogar de um precipício e torcer que o chão nunca chegue!
Que na ilusão do amor, amar é se jogar de um precipício, pensando poder voar, quando na verdade estamos caindo!

Contribua para o debate, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s