Estranho-me

Por entre as belezas do céu e do inferno prefiro o limbo.
Uma imensidão de vazio que não se pode definir,
Não é aqui nem ali ou acolá.

E nessa indefinição propriamente literária ou filosófica,
Posso ser o que me convir a ser dentro da minha mente.
Obviamente, somos o que queremos ser em estado latente.

Mas por que prefiro ser o que não posso ser? Algo indefinido e sem sentido.
Quem me dera ser como o espaço, sem lado.
Ou uma figura geométrica perfeita, um círculo, aberto.

Deixo de ser perfeito e indefinido quando me ponho ao mundo.
Talvez mais importante que interpretar um texto,
Seja interpretar o mundo! O que são tais pessoas?

A natureza tão controversa do ser humano. Insano!
A natureza tão concisa do mundo. Mundano!
A natureza tão irreal. Realidade!

Contribua para o debate, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s