Seres Mutáveis. – Giuliano Fordelone

Alguém dizia que não poderia viver sem mim,
Impresso naquelas palavras, com aquela melodia,
Dizia que estava com medo, dizia que estava apaixonado…

Fatos passados não mudam, as pessoas sim,
O ser por si só, é absolutamente mutável e complexo.
Nada fica de fora, nem nada ficou dentro.

E a história sempre é contada com certa melancolia.
Fatos alegradores de outrora, se torna martilho para os indignos.
Fatos entristecedores marca na pele o que deixamos de fazer.

Tenho saudades de tudo que deixei de fazer.
E sinto necessidade de fazer tudo o que não fiz.
E ainda sim, aquele peso que nos paira a mente.

Nos limitamos a fazer coisas das quais nunca quissemos,
E portanto, mal fazemos o que temos que fazer.
Nos limitamos a não fazer aquilo que podemos fazer…

Deixamos de viver a cada momento, único, devo acrescentar,
Por medo, por ignorância, por discriminação e por conceitos sociais.
Dos quais nos limita a não ser autênticos.

Deixe tudo para trás, pois é, esqueça suas histórias,
Pois elas já não existem mais, a não ser se forem colocadas nos livros.
Trace seu próprio caminho de formar totalmente sem limitações.

Contribua para o debate, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s