Essa tal de beleza – Giuliano Fordelone

Penso na beleza e procuro argumentos que a justifiquem…
Penso na beleza e procuro palavras para descreve-la…
Penso na beleza e só me vem imagens a cabeça…

Como descrever algo que não vem de fora e sim de dentro?
Como descrever que não é a cor dos olhos nem a cor da pele?
Como descrever que não é o tempo, dias, meses ou anos?

Essa tal beleza me solta os olhos, me enche a alma, me esvazia o peito.
Essa tal de beleza é uma nostalgia, euforia, e até mesmo um ser.
Essa tal de beleza que tem nome, idade, cor e carisma!

Contribua para o debate, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s