Debates de Ideias sem Ideias

Debates de Ideias sem Ideias - Aqui eu faço uma breve reflexão sobre o que acontece no dia a dia, nos debates, discursos e interações que temos com o outro na vida real e virtual.

Problemas Técnicos dos Links – RESOLVIDOS

Alguns links da Biblioteca Virtual e dos respectivos Downloads foram copiados erroneamente, porém já estão todos consertados. Caso encontre algum erro ou problema técnico no blog e/ou nas publicações em geral, informar pelos comentários ou entrar em contato com o e-mail abaixo: taomega.reflexoes@gmail.com ADM AGRADECE - Que a Força esteja com todos vocês!

Tempo de Inspirações – Giuliano Fordelone

Tempo de Inspirações - Giuliano Fordelone: Essa poesia significa a volta da inspiração, como o tempo passa e a vida é como as estações, cíclicas.

Dúvide de si mesmo

E se vocês descobrisse que todas suas escolhas foram motivadas por pré-conceitos e sugestões passada pelos seus pais? - Talvez você seria outra pessoa hoje. E se você descobrisse que a sociedade o tempo todo lhe "doutrina" ou lhe crer que tudo que vivemos é real, os padrões, nossas crenças, nosso modo de pensar e … Continuar lendo Dúvide de si mesmo

Dicas e Indicações – OneNote

Ecologia; Ecologicamente Correto; Organização; Agilidade

Da Finitude – A Alegria

Nada melhor do que um relógio para simbolo da finitude. Mas afinal, o que é essa tal de "finitude"? É a característica de algo finito, que por si só tem fim, acaba. E como qualquer coisa de um mundo finito, não há nada que possa ser eterno neste plano existencial. Sem dúvidas a alegria é … Continuar lendo Da Finitude – A Alegria

Futilidade do Cotidiano – Sugestão de uma Seguidora

Madrugada a dentro com um café, uma seguidora (Milena Adrian) me sugere para abordar sobre a FUTILIDADE. Pois bem, o que é futilidade? Pelo dicionário, futilidade é a característica de fútil, sem valor, sem importância, irrelevante. Mas o conceito de fútil é tão subjetivo como o próprio gosto por um saber, por uma cor, tão … Continuar lendo Futilidade do Cotidiano – Sugestão de uma Seguidora

Afeto e Sexo, Sexo e Afeto

Essa reflexão está fundamentada em como nosso sociedade idealiza o sexo e o amor numa relação afeto-sexo e sexo-afeto, ou seja, a relação que determina que afeto está vinculado a sexo, e que sexo é simbolo de vinculo afetivo (por vezes...). Começo a refletir que quase sempre presente em filmes, literatura, jogos etc. tem a … Continuar lendo Afeto e Sexo, Sexo e Afeto

História e Cultura marcada pelo Etnocídio e Genocídio I: O que é?

Introdução: Pois bem, como o título sugere, irei abordar sobre Etnocídio e Genocídio, e principalmente a importância de saber o que é e reconhece-lo no nosso cotidiano. Conceitos: Quem nunca ouviu falar em etnocído e genocído? Okay, algumas pessoas podem não ter tido contato, mas irei esclarecer os termos Etnocídio: Como consta no dicionário, significa … Continuar lendo História e Cultura marcada pelo Etnocídio e Genocídio I: O que é?

Belas Artes – Giuliano Fordelone

Queria, e ainda quero poder ser, Apenas mais um artista. Me parece tão fácil enfrentar essas inconstâncias pela arte, E suas diversas formas da Filosofia Estética. A música que toca o íntimo, A pintura que nos remete as lembranças. E o que dizer das poesias? Elas tão belas, contidas em músicas. Essas tão simétricas, Contidas … Continuar lendo Belas Artes – Giuliano Fordelone

Seres Mutáveis. – Giuliano Fordelone

Alguém dizia que não poderia viver sem mim, Impresso naquelas palavras, com aquela melodia, Dizia que estava com medo, dizia que estava apaixonado... Fatos passados não mudam, as pessoas sim, O ser por si só, é absolutamente mutável e complexo. Nada fica de fora, nem nada ficou dentro. E a história sempre é contada com … Continuar lendo Seres Mutáveis. – Giuliano Fordelone

Amor Platônico, bang bang – Giuliano Fordelone

Quando o amor platônico volta o coração pede trégua. Quando o poeta indigno e maltrapilho te avista na rua, Medroso ele, se esquiva. Pois é a vida tem dessas... Desejar aquilo que não podemos tocar, Na esperança de um dia poder nos falar de novo. Quem lê pensa que é um livro ou um filme, … Continuar lendo Amor Platônico, bang bang – Giuliano Fordelone

Na escuridão a curva é mais fechada – Giuliano Fordelone

Vejo nos teus olhos o brilho sagaz de um amanhecer. Posso sentir seu cheiro por entre campos de rosas. Posso te enxergar no escuro de um céu cheio de estrelas. Me debruçar em seu corpo, afagar sua alma, Dançar com seus lábios, e dirigir por suas curvas. Este é um caminho que não posso percorrer. … Continuar lendo Na escuridão a curva é mais fechada – Giuliano Fordelone

Pequeno Idiota – Giuliano Fordelone

Deixo de refletir-me no espelho, pois já não me reconheço mais. Por fim minha identidade foi escoando pouco a pouco. Perco-me pelas ruas procurando por olhares. Perco-me nos livros tentando me encontrar. Mas para tudo que eu olho não vejo nada. E tudo que eu ouço é o vazio da minha personalidade. Corrompido pelos vícios, … Continuar lendo Pequeno Idiota – Giuliano Fordelone

Peculiaridade – Giuliano Fordelone

Se me permitem dizer, cada ser humano é único e especial em sua peculiaridade. A cada linha desenhada, as melhores são as curvas... De um sorriso inesperado ou até mesmo provocado, As curvas da timidez que se revela pelos olhares transversais. Pois é, não tem definição, não tem como declarar... Procurar alguém com tais qualidades. … Continuar lendo Peculiaridade – Giuliano Fordelone

Dois Extremos – Giuliano Fordelone

Confesso! Minha vontade é fraca e ambígua. Ora penso em ser hedonista e me entregar aos prazeres. Mas meu afeto cresce e vejo que sou um coração mole. Ora penso em ser um taoista e me entregar ao desapego. Mas me perco em meus próprios remorsos. E talvez este seja os extremos pelo qual me … Continuar lendo Dois Extremos – Giuliano Fordelone

Essa tal de beleza – Giuliano Fordelone

Penso na beleza e procuro argumentos que a justifiquem... Penso na beleza e procuro palavras para descreve-la... Penso na beleza e só me vem imagens a cabeça... Como descrever algo que não vem de fora e sim de dentro? Como descrever que não é a cor dos olhos nem a cor da pele? Como descrever … Continuar lendo Essa tal de beleza – Giuliano Fordelone

!Novidade! – Categoria – Músicas – Analise Subjetiva

Agora nosso blog conta com a Categoria "Músicas" e a subcategoria "Analise Subjetiva". O intuito dessa categoria, obviamente, é compartilhar músicas no geral, e a subcategoria é analisa-la com uma reflexão sobre o que está música possivelmente pode significar, ora com pesquisas acerca da mesma, ora apenas refletindo de forma crítica as mensagens que uma … Continuar lendo !Novidade! – Categoria – Músicas – Analise Subjetiva

Discriminação e Identidade

Vejo, e com muita frequência, opiniões - e deixo claro, apenas opiniões - acerca de que sexualidade não é campanha política e bla bla bla... Ou seja, você ridiculariza a discriminação, naturaliza ela e torna a reclamação dos discriminados um absurdo. E não digo que não há excessos de ambos os lados, somos humanos e … Continuar lendo Discriminação e Identidade

!Novidade! – Editora Fi disponibiliza suas publicações (livros) gratuitamente!

Editora Fi disponibiliza livros de Ciências Humanas e Sociais GRATUITAMENTE em seu site. Conteúdo de qualidade, feito por diversos profissionais da área, que com certeza irá agregar no seu dia a dia e na sociedade. Não deixe de conferir seu catálogo aqui. Confira também a página no Facebook.

Por que prefiro um Monólogo num blog?

Essa reflexão é um tanto que íntima, e compartilho com quem realmente tem interesse de ler e talvez vá até se identificar comigo. Por que prefiro um monólogo num blog? Divididos em diversos temas e assuntos, posso melhor organizar minhas reflexões, sem medo de errar e ser ridicularizado por isso. Também serve como fonte de inspiração … Continuar lendo Por que prefiro um Monólogo num blog?

Vida Social, uma peça na qual ninguém sabe interpretar seu papel na hora certa e no lugar certo

Aparentemente tal título pode gerar curiosidade, afinal, o que seira atuar na vida social? Pois bem, explico a ideia que quero passar. Na vida social há uma distinção, uma separação nos setores que atuamos de nossa vida, como o papel de pai/mãe em casa para com os filhos, o papel de marido/esposa para com o … Continuar lendo Vida Social, uma peça na qual ninguém sabe interpretar seu papel na hora certa e no lugar certo

A vida em sociedade – Direito e Dever, Liberdade e Igualdade

Parece fácil abordar sobre viver em sociedade, como se pudéssemos reduzir tal reflexão num simples ditado clichê como: "meu direito/liberdade vai até onde começa o direito/liberdade do outro". Isso parece tão óbvio que deixa de ser óbvio pelos simples fato de quando você parar para analisar o que é "direito", o que é "liberdade" e, … Continuar lendo A vida em sociedade – Direito e Dever, Liberdade e Igualdade

!Novidade! – Adicionado na Biblioteca a Tabela de Divisão das Áreas do Conhecimento pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico disponibiliza uma tabela de divisão das áreas do conhecimento, por motivo de curiosidade estou disponibilizando na biblioteca e aqui. Utilizo esta divisão para separar meus conteúdos com a finalidade de melhor organizar os artigos, afinal organização é um dos pilares da eficiência!

Trabalho, Pensamento, Tempo-Espaço e Ócio.

No ônibus a caminho de casa, lendo Edgar Morin em seu livro "Introdução do Pensamento Complexo", me deparo com a frase de um filósofo, da qual o contexto escrito no livro não afeta minha reflexão momentânea, que dizia: "...vivemos de morte, morremos de vida - Heráclito. Ao me deparar com tal frase, meu pensamento voa … Continuar lendo Trabalho, Pensamento, Tempo-Espaço e Ócio.

Banalidade banalizada…

Banal, banalidade e banalização, afinal, o que realmente significa essas palavras? Vamos consultar um dicionário. Banal: "Trivial; sem originalidade; que é comum ou ordinário: conversa banal." Banalidade: "Característica ou particularidade do que é banal; em que há ou demonstra trivialidade; lugar-comum" e/ou "Fato, circunstância, discussão ou conversa sem originalidade e relevância". Agora vamos abortar o … Continuar lendo Banalidade banalizada…

1ª Publicação – Para bom entendedor 1/2 palavra basta!

Pois bem, refletir não é tão fácil como  parece, quem dirá escrever o que se pensa. Enquanto seu pensamento voa, por aqui e por ali, a escrita é restrita a uma simples caminhada lenta, escrevendo palavra por palavra, formando frase a frase, construindo uma ideia. Por melhor que você possa ser na escrita, a ideia … Continuar lendo 1ª Publicação – Para bom entendedor 1/2 palavra basta!